Colin Stetson encheu a sala, o palco e a alma

O SeixalJazz encerrou de sala, palco e alma cheios. Colin Stetson, inventivo e singular, tem a preocupação de proporcionar um espectáculo sempre diferente e o concerto desta noite não destoou. Foi único.

Acompanhado dos seus saxofones, completo e inteiro na sua arte, Stetson lembra um xamã. A sua música é ritualística, a sua presença encantatória, e a sua mestria mágica. Com estes dotes, o músico povoou o auditório com exércitos de fantasmas e assombrações, abrindo portas para outras dimensões, contrastantes com a sua postura simpática e comunicativa.

Num festival que tem rumo na inovação, na contemporaneidade e na ousadia do programa, a edição de 2016 não poderia ter terminado de melhor forma. Uma ovação de pé, um encore apaixonado do saxofonista. O desejo de voltar, quanto antes, às noites de jazz no Seixal.